100 Perguntas & Respostas sobre o Socialismo: VII. Os Sindicatos

 

 

73. Qual é a nossa atitude para com os sindicatos?

 

Os sindicatos são, essencialmente, órgãos da classe trabalhadora para lutar por uma vida melhor. Se os sindicatos organizam massas da classe trabalhadora, mas estão sob a liderança reformista,  nós trabalhamos dentro deles e tentamos faze-los  se livrar da burocracia reformista e transformar essas organizações de massas em sindicatos revolucionários. Tentamos fortalecer os sindicatos sempre que for possível. Em ramos onde não existem sindicatos, tentamos construir sindicatos revolucionários. O RCIT visa construir uma direção revolucionária para os sindicatos.

 

 

 

74. Somos a favor de dividir os sindicatos?

 

Em princípio, somos contra a divisão dos sindicatos. Acreditamos que a classe trabalhadora precisa de um único sindicato para lutar mais eficazmente possível. No entanto, não devemos permitir que a burocracia em atar as mãos dos trabalhadores na luta, e propomos ações independentes, quando os burocratas se recusam a lutar (por exemplo, convocações  para as greves, manifestações, ocupações de fábricas, etc.) A história tem mostrado que são os reformistas que quebram a unidade do sindicato, especialmente quando lá  os comunistas se tornam muito influentes. Isto ( a divisão) é certamente negativo, mas muitas vezes inevitável.

 

 

 

75. Que tipo de trabalho sindical  que vamos empreender?

 

Durante a realização do trabalho sindical, tentamos ganhar colegas tanto para a adesão ao sindicato, bem como para o comunismo, o que significa recrutar membros dos sindicatos e construir  células sindicais. Se não há delegados sindicais em uma empresa, propomos nomear um. Quando há uma greve, nós nos colocamos na vanguarda na luta contra os patrões e por mais direitos. Ligamos a luta por melhorias na vida cotidiana com a luta pela dominação da classe trabalhadora.

 

 

 

76. O que é uma greve?

 

Uma greve significa que homens e mulheres   trabalhadores decidem  em conjunto que se recusam a trabalhar  até que o chefe ou o Estado aceitem nossas reivindicações. Uma greve pode exercer enorme pressão porque impede os patrões de fazer lucros durante este tempo. Isto pode assumir a forma de uma greve dentro da empresa ou de uma manifestação de rua durante o horário de trabalho. Um pelego  é alguém que se recusa a participar de uma greve e quer continuar a trabalhar para o patrão. Pelegos estão, portanto, traindo seus colegas e estando a  prejudicá-los.

 

 

 

77. Como podemos forçar a burocracia sindical a lutar?

 

Por si só, a burocracia sindical não vai lutar por nossos direitos. Vai fazê-lo apenas sob a pressão de baixo. Enquanto não somos fortes o suficiente para organizar as ações de militantes por nós mesmos, devemos colocar a direção do sindicato sob pressão até que ela leve a luta. Por isso, propomos a realização de assembléias dos trabalhadores para discutir e tomar decisões para iniciar uma greve ou para a construção de comitês de ação para organizar a resistência prática. Por isso, defendemos a construção de um movimento popular de militantes dentro dos sindicatos. Este movimento popular deve ter como objectivo organizar acções de luta de classe, se necessário, contra a vontade da burocracia.