Israel Inicia Ofensiva Terrestre: Defender Gaza! Derrotar A Guerra De Israel!

Apoiar a resistência palestina! Por uma campanha Internacional Operária e Popular para Boicotar Israel! Abaixo os Regimes que colaboram com Israel! Por uma livre, vermelha Palestina!

Declaração Conjunta da Corrente Comunista Revolucionária Internacional, Liga Socialista Internacionalista (seção do RCIT- em Israel / Palestina ocupada), a Esquerda Comunista da Austrália e do Editor do Blog vansterparlan.v-blog.se (Suécia), 2014/07/22

 

1. Ofensiva terrestre de Israel marca uma nova escalada na sua campanha terrorista contra o povo palestino. Até agora, pelo menos 604 palestinos na Faixa de Gaza foram mortos e mais de 3.700 foram feridos. Este não é um conflito entre dois grupos religiosos ou nacionais. Pelo contrário, esta é uma guerra arqui-reacionária de opressão do lado do estado de apartheid racista de Israel e uma guerra justa de defesa em nome do povo palestino! Democratas e socialistas não podem deixar de apoiar entusiasticamente a heróica resistência palestina e trabalhar para a derrota de Israel.

2. Saudamos e participamos ativamente do movimento de solidariedade mundial com a Palestina. Saudamos os protestos em massa na Turquia, que justificadamente atacaram a embaixada de Israel. Ações heróicas semelhantes foram realizadas pelas massas egípcias durante a última guerra de Gaza, em novembro de 2012. Condenamos o governo francês "socialista", que é apoiado pelo Partido "Comunista", quando esteve a proibir a manifestação de massas pró-Palestina em 19 de julho.

3. Apelamos para a construção de um movimento de solidariedade internacional de massas da classe trabalhadora e dos oprimidos. Convidamos as organizações de massas de trabalhadores e movimentos populares (sindicatos, partidos, etc) para se juntar à campanha internacional de solidariedade para a Palestina e para participar activamente em acções de boicote contra todas as atividades comerciais com Israel! Devem-se boicotar todos os contatos com as instituições sionistas enquanto - ao mesmo tempo incentivando-estreita colaboração com todos os judeus israelenses progressistas que protestam contra o regime do apartheid. Tal movimento de solidariedade de massa deve mobilizar-se para fechar as embaixadas de Israel em todo o mundo. Igualmente como um movimento de solidariedade deve trabalhar no sentido de acabar com a ajuda militar e financeira a Israel pelos estados imperialistas.

4. Condenamos a administração palestina reacionário liderado por Mahmoud Abbas e o partido Fatah burguês-nacionalista. A administração palestina colabora com Israel e age como seu agente contra o povo palestino. Enquanto nós apoiamos a luta de resistência apenas do Hamas e da Jihad Islâmica contra Israel e seus colaboradores, rejeitamos sua agenda islamita burguesa. Também critica as suas táticas militares, que não incidem sobre a resistência ao exército israelense e colonos armados, mas sim contra alvo civis desarmados. Os trabalhadores palestinos e pobres devem ser organizados por um partido revolucionário dos trabalhadores que unifique a luta de libertação nacional com a luta internacional para a revolução socialista.

5. Nos países árabes, bem como na Turquia, o movimento de solidariedade internacional em massa deve condenar os regimes locais pela sua colaboração - aberta ou escondida - com Israel. Em particular, condenamos a destruição em massa dos túneis para Gaza pela ditadura militar do general Al-Sisi, que cortou a linha da vida para o povo de Gaza. Não menos condenamos os laços econômicos intensivos do regime de Erdogan com Israel que continuaram por muitos anos. Os movimentos de solidariedade devem forçar esses governos a cortar todos os laços com Israel, fechar as embaixadas de Israel e - no caso do Egito - abrir imediatamente a fronteira em Rafah.

6. O movimento de solidariedade internacional deve combinar a luta contra o sionismo com a justa resistência popular em curso no Egito e na Síria contra as ditaduras de al-Sisi e al-Assad. Condenamos a colaboração dos partidos "comunistas" de ambos os países com esses regimes.

7. Rejeitamos a reformista e pró-sionista "solução de dois Estados", que é promovido pela liderança do Fatah, bem como por numerosos stalinistas, pelas forças sociais democrática e centristas, tanto dentro de Israel, bem como em todo o mundo. Essa pseudo-solução seria negar aos palestinos o direito de retorno. Da mesma forma, um Estado palestino na Cisjordânia e em Gaza seria reduzido a um Bantustão, uma colônia dependente de-facto deum Israel muito mais rico e mais poderoso. Em vez disso, lutamos para alcançar um único estado em toda a Palestina em que os palestinos constituiriam, naturalmente, a maioria. Todos os judeus serão bem-vindas para viver em tal estado, desde que aceitem os direitos democráticos da maioria palestina. Em suma, nós lutamos para substituir o Estado de Israel com uma sociedade democrática, palestina, multinacional e socialista de Trabalhadores e República Fallahin desde o rio até o mar.

 

Vamos nos unir sob a bandeira "Defender Gaza! Derrotar a guerra de Israel! Por uma Palestina livre, vermelha !”

Signatários:

Corrente Comunista Revolucionária Internacional (em inglês -RCIT, Paquistão, Sri Lanka, Israel / Palestina Ocupada, Brasil, EUA e Áustria): www.thecommunists.net/

Liga Socialista Internacionalista (seção do RCIT- em Israel /Palestina Ocupada), http://www.the-isleague.com/

Esquerda Comunista da Austrália: http://communistleftaustralia.yolasite.com/

Editor do blog vansterparlan.v-blog.se (Suécia): http://vansterparlan.v-blog.se

 

Free Homepage Translation