Brasil: Solidariedade com os professores em greve em São Paulo-Brasil

Declaração da Tendencia Comunista Revolucionaria Internacional (RCIT) e Blog El Mundo Socialista (Brasil), 17.5.2013, www.thecommunists.net e http://elmundosocialista.blogspot.com.br

 

Professores de escolas públicas do Estado de São Paulo (Brasil) estavam em greve há 22 dias, e os professores da capital do Estado, a cidade de São Paulo, iniciaram  a sua greve em 3 de maio. Os professores do estado terminaram  a greve (APEOESP-Sindicato dos Professores do Estado), mas os professores da cidade continuam, sob  o comando do SINPEEM (Sindicato do educador da cidade de São Paulo). Os professores do estado estavam protestando contra o descumprimento da lei o salário de um educador mínimo que foi aprovado no Congresso do Brasil há 5 anos, com uma média de 780 dólares por mês e trabalho de  40 horas semanais. Além disso, eles exigem um aumento do mínimo, o aumento do orçamento para a educação e para a formação de professores, bem como reduções no tamanho das turmas e melhores condições de trabalho.

Os professores, contudo, de lutar não só contra o governo e a polícia repressiva. Eles também têm um inimigo interno –a  liderança sindical dos professores que é próxima do governo em torno do PT reformista. Maria Isabel Noronha (Bebel), presidente do Sindicato dos Professores do Estado de São Paulo (APEOESP), de 10 de maio, declarou o fim da greve, apesar do fato de que uma massa  de dois mil professores na  assembléia votaram com 70% a favor da continuação da greve! Não é surpresa que ela só escapou da fúria dos professores, chamando a Polícia Militar  para protegê-la.

Uma das principais razões para a Bebel trair a greve e declarando o fim de tudo é  que a liderança sindical tem medo de ser confrontada com duas greves, manifestações e atos comuns, tanto no Estado como na cidade. Isso teria exposto à população que os dois chefes - o governo do Estado governado pelo PSDB (conservador) eo governo da cidade governada pelo PT (Frente Popular) são  oposição apenas  durante as eleições.

Isso mostra mais uma vez o papel traidor da burocracia sindical. Seu interesse principal é preservar as suas posições e privilégios para os quais eles são dependentes de manter boas relações com o Estado burguês e os capitalistas. Os Trabalhadores nunca devem confiar neles! Eles devem fazer todo o possível para organizar de forma independente da burocracia - em comitês de ação - a fim de controlar a luta e decidir democraticamente em assembléias de massa.

Os professores da cidade (SINPEEM) não devem ser influenciados  pela derrota dos colegas do Estado e continuar sua greve contra o governo do PT e suas políticas burguesas de arrocho salarial e as privatizações.

Eles também devem apelar para os professores e os sindicatos em outras cidades e Estados para se juntar à luta. Da mesma forma, é importante orientar para ampliar a luta para outro setor da classe trabalhadora.


Vitória para os Professores em greve da cidade de  São Paulo!

Free Homepage Translation