Unidade Revolucionária para o Avanço da Luta de Libertação!

Carta aberta a todas as organizações e ativistas Revolucionárias no Forum Mundial Social-FMS- em Tunis 24 a 28 março 2015.

Declaração da Corrente Comunista Revolucionária Internacional - RCIT (Paquistão, Sri Lanka, Israel / Palestina Ocupada, Iêmen, Brasil, EUA, Grã-Bretanha e Áustria), março 2015

 

Nesta carta aberta, a Corrente Comunista Revolucionária Internacional (em inglês RCIT) apela a todas as organizações revolucionárias e ativistas para trabalhar em conjunto sobre a base de uma estratégia comum contra a exploração capitalista e a opressão imperialista.

Vivemos em um mundo de crescente rivalidade inter-imperialista, levantes revolucionários e ameaças contra-revolucionárias. Neste período da história, tão revolucionário por su natureza, que teve início em 2008 com o advento da Grande Recessão, é mais urgente do que nunca unir todos os revolucionários autênticos e construir novos partidos, verdadeiramente revolucionários em cada país e de lutarpel a fundação da Quinta Internacional dos Trabalhadores.

Este novo partido mundial da revolução socialista deve ser construído como uma alternativa clara e inequívoca às lideranças atuais oficiais de vários campos – alternativa aos burocratas traiçoeiros, aos líderes dos partidos social-democratas, ao chefes de partidos stalinistas, ao bolivarianismo, ao partidos que representam nacionalismo pequeno-burguês e aos partidos com base no islamismo. Essas lideranças atuais, consciente ou inconscientemente enganam os trabalhadores e os oprimidos. Para substituir essas lideranças é, antes de tudo, urgente denunciá-los abertamente. No entanto, ao mesmo tempo, é absolutamente necessário para os revolucionários combater internamente nos movimentos de massa existentes e aplicar a tática da frente única concernentes às suas lideranças.

No contexto das lutas de classes complexas de hoje e eventos políticos mundiais, os revolucionários só podem lutar pela liderança da luta de libertação, se adotarem táticas corretas e um programa claramente definido. Uma e outra vez, vimos que todas as organizações centristas, que se propõem a representar uma liderança alternativa, falharam miseravelmente em suas avaliações sobre de que lado ficar em quando as barricadas são montadas. Em um mundo de crescente rivalidade imperialista e uma enorme polarização de classes, apenas uma organização revolucionária internacional baseada em um programa sólido e abrangentes quadros da classe trabalhadora internacionalista podem levar a classe operária para o caminho correto da revolução socialista.

O RCIT chama todos os revolucionários a tomar as seguintes defesas em relação aos acontecimentos imediatos atuais em âmbito internacional:

* Defender o povo palestino contra Israel, o estado sionista de Apartheid! Em qualquer conflito defendemos uma vitória militar da resistência palestina e pela derrota de Israel! Por uma campanha popular de boicote Internacional dos Trabalhadores contra Israel! Nenhum apoio político para a liderança colaboracionista dos partidos palestinos de Abbas / Fatah ou para a liderança burguêsa do Hamas! Pelo direito irrestrito de retorno para todos os palestinos e seus descendentes que foram expulsos pelos sionistas desde 1948! Por uma Livre e Vermelha Palestina desde o rio até o mar! Não ao reconhecimento do estado sionista defendido pelo Partido reformista da Esquerda Europeia, pelos estalinistas ou pelo CWI liderado por Peter Taaffee!

* Abaixo a ditadura militar do general Sisi no Egito! Apoiar as greves e protestos em massa contra a ditadura! Defender a Irmandade Muçulmana contra a repressão, mas não dar apoio político para sua liderança burguesa! Denunciar o apoio do Partido Comunista Egípcio para o regime Sisi! Que vergonha para esses pseudo-revolucionários que não condenaram o golpe de Estado em 3 de julho de 2013 e que falharam em defender os protestos em massa liderada pelos islamitas, quando milhares deles foram abatidos pelo exército (como por exemplo fizeram o partido Socialistas Revolucionários / IST, IMT liderada por Alan Woods, e o Movimento 6 de Abril)!

* Apoiar a revolução na Síria!Abaixo o regime Assad, um fantoche do imperialismo russo! Não à qualquer intervenção do imperialismo americano e da União Europeia! Não à qualquer colaboração com os imperialistas! Apoiar os rebeldes contra o regime de Assad, mas sem dar apoio político para a pró-ocidental FSA ou paras as lideranças islâmicas! Pelos conselhos populares e milícias operárias para organizar a guerra civil contra a ditadura Assad! Pelas brigadas internacionais de solidariedade! Defender o direito dos curdos à sua auto-determinação nacional!

* Defender a insurreição popular sunita contra o exército iraquiano! Abaixo o sectarismo reacionário! Expulsar as forças do EI-Daash( Estado Islâmico) para fora do movimento de resistência! Defender o povo curdo e o povo Yazidi contra as forças de do Estado Islâmico! Apoiar ao direito de auto-determinação do povo curdo! Por um Curdistão unido e socialista!

* Barrar a contra-revolução da velha elite na Tunísia! Nenhumapoio ao governo burguês pró-imperialista liderado por Nidaa Tounes ou ao burguês partido Ennahda! Os socialistas não devem formar alianças com grupos de pequeno-burgueses nacionalistas como testemunhamos no caso do Front Populaire pour la réalisation des objectifs de la revolução( Frente Popular pela Realização de Objetivos da Revolução (al-Jabha)! Por um Partido dos Trabalhadores independentes com base em um programa revolucionário!

* Derrotar o General Haftar e sua camarilha pró-imperialista na Líbia! Lutar contra as tentativas das potências imperialistas e seus lacaios em trazer a Líbia sob seu controle e para aniquilar as conquistas da revolução democrática inacabada contra a ditadura Gaddafi! Embora atualmente o principal inimigo seja a pró-imperialista camarilha do General Haftar, os socialistas devem trabalhar pela a formação de conselhos populares e milícias que sejam independentes dos islamitas!

* Impedir o descenso da revolução democrática no Iêmen a caminho de uma guerra civil sectária! A revolta popular no Iêmen, no Outono de 2014 contra o governo e os seus aumentos de preços escandalosos foi absolutamente justificada. No entanto, agora existe o perigo de que o país está sendo mergulhado em uma guerra civil entre o burguês movimento xiita Houthi e grupos pró-sunitas. Por conselhos e milícias de trabalhadores e camponeses independentes das linhas religiosas.

* Defende os protestos democráticos contra o regime de Erdogan na Turquia! Nenhum apoio ao movimento igualmente reacionário de Fethullah Gulen ou para o CHP! Pelo direito de auto-determinação nacional do povo curdo, incluindo o direito a um Estado independente!

* Abaixo a cruzada de Obama no Oriente Médio! Derrotar a intervenção militar do imperialismo estadunidense e seus aliados em todos os países (Afeganistão, Iraque, Síria, Iêmen, Somália, etc.)! Ficar ao lado com a luta de resistência contra a guerra de agressão liderada pelos Estados Unidos, mesmo que seja liderada por forças islâmicas! Mas não dar nenhum apoio político a essas lideranças! Pela luta de massas independente liderada pela classe trabalhadora contra os imperialistas e seus lacaios! Denunciar os social-democratas, os stalinistas e centristas que ora apoiam a guerra imperialista de agressão ora permanecem neutros!

* Derrotar as guerras coloniais do imperialismo francês no Mali e na República Centro Africana!Solidariedade com a resistência, ao mesmo tempo não dando nenhum apoio político suas lideranças islâmicas pequeno-burguesas! Denunciar a recusa do "Partido Comunista Francês-PCF" em votar no parlamento (em 2015/01/14) contra a extensão da participação da França na guerra imperialista no Iraque!

* Pelas mobilizações de massa internacionais para derrotar a agressão dos Estados Unidos! Pelas manifestações, greves e ações diretas nos países que participam da cruzada de Obama no Oriente Médio e em todos os outros países!

* Barrar o racismo islamofóbico contra os imigrantes muçulmanos na Europa e na América do Norte! Defender os muçulmanos contra os ataques racistas! Pelas unidades de auto-defesa de muçulmanos e trabalhadores não-muçulmanos e jovens para defender os locais dos imigrantes, as escolas e as mesquitas! Remover a proibição de usar o hijab ou burca!

* França: Não à "l'unité nationale" (Unidade Nacional) com o Governo Hollande e os capitalistas! Abaixo o Estado Policial! Não à colocação de soldados nas ruas da França! Denunciar o apoio do PCF às manifestações de"unidade nacional" no dia 11 de janeiro!

* "Je ne suis pas Charlie" - Nós não somos Charlie! Opor-se ao terrorismo individual, como o ataque ao escritório da revista francesa Charlie Hebdo! Mas nenhuma solidariedade com o sexismo da Charlie Hebdo, nem com o seu racismo contra os muçulmanos e sua religião! O movimento dos trabalhadores deveria boicotar a distribuição de Charlie Hebdo - não transportar, não vender, e não comprar esta revista! Não à solidariedade dos partidos de esquerda (PCF, FDG, NPA, LO) para com a revista racista Charlie Hebdo!

* Completa igualdade de direitos para os imigrantes! Por salários iguais! Apoiar o direito do migrante de usar sua língua nativa na administração pública e nas escolas! Pelo pleno direito de voto para os imigrantes, independentemente do seu passaporte!

* Grécia: Não apoio para à política reformista-pró-capitalista da liderança do SYRIZA! Forçar o SYRIZA a romper a coligação de Frente Popular com o partido ANEL! Por um governo minoritário do SYRIZA com base no apoio às lutas de massa nos locais de trabalho e nas ruas! Cancelar todas as dívidas! Expropriar os capitalistas e, em especial, as denominadas "50 famílias"! Nacionalizar as principais corporações sem pagamento de indenizações e colocá-las sob controle dos trabalhadores! Romper todas as ligações com as instituições da União Européia-UE e deixar a zona euro! Aumentar significativamente o salário mínimo! Por um programa de obras públicas a fim de reconstruir o país! Por um governo dos trabalhadores com base em conselhos de ação e milícias operárias armadas! Por uma república dos trabalhadores na Grécia! Pelo Estados Unidos Socialistas Unidos da Europa! Por um amplo movimento de solidariedade europeia com o povo grego! Forçar os governos e os bancos da UE a cancelar a dívida da Grécia!

* Nenhum apoio ao governo de direita da Ucrânia ou à “República Popular de Donbass”! Ambos estão lutando uma guerra civil como agentes de potências imperialistas ( EUA e EU versus a Rússia, respectivamente)! Esmagar os fascistas! Pela gualdade de direitos e pelo direito de auto-determinação nacional para todas as minorias nacionais, como a minoria Russa no leste da Ucrânia e os tártaros da Criméia!

* Apoiar a luta de libertação nacional do povo checheno contra a Rússia imperialista! Por uma república de operários e camponeses independente na Chechênia! Condenar o apoio do stalinista-chauvinista KPRF russo para a guerra de Putin de opressão na Chechênia!

* Abaixo com todas os grandes potências imperialistas - EUA, UE, Japão, China e Rússia! Nenhum apoio a qualquer campo imperialista! Na Ucrânia, no Leste da Ásia, e em qualquer outro conflito militar entre esses poderes ou os seus fantoches, os socialistas devem implacavelmente lembrar aos trabalhadores: O principal inimigo está em casa! Transformar a guerra imperialista em guerra civil contra sua própria classe dominante!

* Defender os direitos das mulheres na Índia! Mobilização contra a reacionária cultura do estupro! Pelas unidades de autodefesa armadas de homens e mulheres progressistas para proteger as mulheres! Não para o feminismo pequeno-burgues - por um movimento de mulheres da classe operária revolucionária!

* Derrotar as provocações reacionárias da Venezuela e do Brasil! Barrar as ameaças de golpe de Estado das forças de direita! Mas nenhum apoio político e eleitoral para o governo Maduro e Dilma! Defender a Venezuela contra o imperialismo norte-americano! Por independentes lutas de classe contra os ataques sociais realizados pelo governo Maduro e Dilma! Que a classe trabalhadora rompa coma liderança Bolivariana que defende o sistema capitalista e colabora com a China imperialista! Por um partido operário independente, baseado em um programa revolucionário!

* Nenhum para o governo do Congresso Nacional Africano-CNA na África do Sul! Apoiar o NUMSA e outros movimento sindicais a romper com o ANC e a facção pró-governo na COSATU! Chamar o NUMSA a formar um partido dos trabalhadores agora! No entanto, não permitir que os líderes do NUMSA desmontem a perspectiva de uma luta de classes independente com uma repetição da "Carta da Liberdade" ou da Frente-Populista UDF, o programa falido da política do ANC na década de 1980. Por um novo partido de massas dos trabalhadores com base em um programa revolucionário! Denunciar o stalinista Partido Comunista Sul-Africano-PCSA que faz parte do governo do ANC capitalista e que apoia a repressão de militantes da vanguarda operária, como fez durante o massacre Marikana!

O RCIT chama todos os revolucionários a intervir na luta de classes e combinar todas as táticas necessárias com a propaganda para um programa de poder da classe trabalhadora que só pode ser alcançado por uma revolução socialista. Tal programa deve ser construída sobre os métodos descritos pelo Programa de Transição de Trotsky de 1938:

* Construir comités de ação nos locais de trabalho de moradia dos trabalhadores! Remover dos sindicatos os burocratas e colaboradores com os capitalistas! Pelo controle democrático dos trabalhadores de base nos sindicatos ! Construir frações comunistas revolucionárias dentro dos sindicatos! Transformar os sindicatos em instrumentos de militantes para a luta de libertação socialista da classe trabalhadora!

* Pela escala móvel de horas de trabalho até que todos estejam empregados, sem perda de salário!

* Pelo direito de auto-determinação para todos os agrupamentos nacionais oprimidos que estão privadas do direito separação!

* Por movimentos revolucionários de mulheres, migrantes, jovens, desempregados e as minorias nacionais! Pelo direito dos oprimidos em se reunir em organizações de massa dos trabalhadores e seus movimentos!

* Construir comitês e conselhos de ação dos trabalhadores, camponeses e pobres para organizar a luta!

* Pelas milícias de oprimidos e trabalhadores armados!

* Expropriar a classe capitalista! Nacionalizar as grandes empresas e bancos sob controle dos trabalhadores!

* Por um governo dos trabalhadores aliado com os camponeses e pobres urbanos e com base em conselhos e milícias locais!

* Lutar novos partidos operários e por uma Quinta Internacional dos Trabalhadores com base em um programa revolucionário!

 

Não há futuro sem socialismo!

Não há socialismo sem revolução!

Não há revolução sem um partido revolucionário!


Free Homepage Translation