Áustria: Partido de direita abre inquérito parlamentar contra a seção austríaca da CCRI

O maior partido de oposição faz  difamação contra os trotskistas por suposto "extremismo esquerdista", "antisemitismo" e "islamismo radical" e pede ao Ministério Federal do Interior que os investigue oficialmente. 

 

Relatório da RKO BEFREIUNG (Secção Austríaca do RCIT), 29.01.2017, www.rkob.net

 

 

 

Um grupo de deputados parlamentares do Partido Freiheitliche (FPÖ) em torno do deputado David Lasar apresentou um inquérito oficial no parlamento austríaco. (1) Neste inquérito, os deputados do FPÖ - um partido de extrema-direita que obteve 20,5% nas últimas eleições nacionais e que atualmente lidera as eleições - acusam a secção austríaca da CCRI, e também a organização de imigrantes do Egito de "Extremismo de Esquerda", "Antissemitismo" e "Islamismo Radical". (2) em consequência, pedem ao Ministério Federal do Interior que investigue oficialmente as duas organizações. 

 

O FPÖ de extrema-direita justifica o seu inquérito referindo-se à manifestação anti-racista de 26 de novembro de 2016 e ao papel desempenhado pelos militantes da secção austríaca - juntamente com as nossas organizações aliadas de imigrantes. Como relatamos naquele dia, os imigrantes muçulmanos que participaram de nosso contingente - que foi a de maior participação na manifestação e contou com muitos migrantes do Egito, Síria, Iraque, Irã e outros países em suas fileiras - foram fisicamente atacados por organizações pró- Sionistas do Black Bloc (os chamados "anti-alemães"). (3) 

 

Como evidência concreta de sua difamação, estes deputados de direita referem-se aos nossos slogans pró-palestinianos na manifestação (tais como "Liberdade para a Palestina" ou "Israel e os EUA estão zombando dos direitos humanos"), aos slogans árabes dirigidos contra a ditadura militar egípcia. Concretamente Lasar está a referir-se aos slogans "Abaixo a ditadura militar" e "O povo quer derrubar o regime"), bem como o uso do símbolo R4BIA (em memória dos milhares que foram mortos na manifestação na praça Rabia no dia 14 Agosto de 2013). 

 

Os extremistas de direita do FPÖ liderados por HC Strache são bem conhecidos por sua campanha de ódio militante islamofóbica e anti-refugiados. Eles também pedem um aumento do monitoramento e da repressão contra as organizações revolucionárias e as forças muçulmanas imigrantes. Eles têm relações estreitas com o regime russo de Putin e também são fanáticos apoiadores de Israel. 

 

David Lasar, o iniciador do inquérito parlamentar, é um membro proeminente do partido. Ele é a pessoa de contato oficial com o Estado israelense e construiu muitas ligações com partidos de extrema-direita que estão dominando o governo israelense. Ele também é um membro proeminente da federação Sionista na Áustria e tenta ajudar seu partido a superar sua imagem histórica como sendo um partido anti-semita. É simbólico para o caráter reacionário do partido, bem como de Lasar que no verão de 2011 ele pessoalmente foi à Líbia durante o levante popular para encontrar - em uma manifestação de solidariedade com a ditadura reacionária – o filho de Kaddafi. 

 

Com a vitória de Trump é claro que forças reacionárias extremas como o FPÖ na Áustria sentem-se encorajadas a pressionar por um aumento na repressão do estado contra organizações revolucionárias, assim como contra forças de imigrantes muçulmanos. Este inquérito parlamentar é apenas o ataque mais recente e mais significativo que a seção austríaca da CCRI tem experimentado durante os últimos anos. (4) Não nos surpreendemos com estes ataques, porque estamos a aumentar a nossa voz e participamos em muitas atividades práticas de solidariedade com várias organizações de imigrantes. É um resultado da nossa oposição revolucionária inequívoca contra as guerras e a ocupação imperialistas, bem como contra o racismo e a Islamofobia. Estes últimos acontecimentos só irão reforçar a nossa determinação. 

 

Apelamos a todas as forças progressistas a manifestarem a sua solidariedade conosco, protestando contra o inquérito parlamentar de direita e rejeitando quaisquer medidas legais do Estado austríaco contra a secção austríaca da CCRI, bem como contra a organização imigrante egípcia.

 

 

 

Footnotes:

 

(1) Anfrage des Abgeordneten David Lasar und weiterer Abgeordneter an den Bundesminister für Inneres betreffend Juristisches Nachspiel für Teilnehmerinnen an der Demonstration " Let them stay" auf der Mariahilferstraße, 11459/J vom 24.01.2017, (XXV.GP), https://www.parlament.gv.at/PAKT/VHG/XXV/J/J_11459/index.shtml. Our first response has been the following press announcement: AVISO: Parlamentsanfrage von FPÖ-Lasar ist Verhöhnung der Opfer. FPÖ-Abgeordnete um David Lasar über die ägyptische Revolution, Israel und die Vorfälle auf der Demonstration für Asylrecht am 26. November 2016 (OTS), Presseaussendung von Michael Pröbsting (Sprecher der RKO BEFREIUNG) und Ibrahim Ali (Sprecher des Koordinationsrates der ägyptischen Gemeinde), 25.01.2017, http://www.ots.at/presseaussendung/OTS_20170126_OTS0004/aviso-parlamentsanfrage-von-fpoe-lasar-ist-verhoehnung-der-opfer

 

(2) O nome official da organização egípcia dos immigrates é Coordination Council of the Egyptian Community( Conselho de Coordenação da Comunidade Egípcia).

 

(3) Austria:Em Inglês “Left-Wing” Zionists Attack Arab Migrants at Demonstration in Solidarity with Refugees! Report (with Pictures and Videos) from the anti-racist Demonstration on 26 November in Vienna by the Austrian Section of the RCIT, 27.11.2016, https://www.thecommunists.net/rcit/zionists-attack-rcit-austria/

 

 

 

Free Homepage Translation