BRASIL: PELA RESISTÊNCIA POPULAR DOS TRABALHADORES!

CCR/RCIT - BRASIL - E O SEGUNDO TURNO DAS ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS-2014

 

No próximo dia 26 de Outubro a população será obrigada a escolher entre Dilma Roussef do Partido dos Trabalhadores, tendo como Vice Michel Temer do PMDB, um tradicional partido burguês, uma tradicional Frente Popular, contra Aécio neves do PSDB, um partido que é representante direto do imperialismo e da burguesia financeira.

O país esta´ caminhando para uma grande crise econômica. O FMI reduziu a previsão de crescimento em 2014 do Brasil para apenas 0,3%. Se a previsão for confirmada, será o segundo pior resultado nos últimos 16 anos, só perdendo pra 2009 e 1998, quando a economia não registrou crescimento. Os números atuais estão longe da média mundial, que agora teve um leve recuo, de 3,4% para 3,3%. O Jornal burguês “Valor Econômico” pertencente à poderosa Rede Globo definiu em seu site que “O Brasil, pelo seu potencial de recursos e pelo seu histórico, deveria crescer pelo menos como os demais países emergentes, que crescem, em média, mais de 4% ao ano.”. Isso demonstra claramente que o imperialismo e a burguesia nacional exigirá, seja qual for o vencedor, os “ajustes” da economia para reaver a sua taxa de lucro, e portanto, isso significará ataque direto aos trabalhadores na forma de arrocho salarial, perda de direitos trabalhistas, aumento da idade de aposentadoria, etc. No campo econômico haverá pressão para privatizar os dois grandes bancos públicos que ainda restam: O Banco do Brasil e a Caixa Econômica. A exigência de Wall Street de da “City” de Londres é que o Banco Central seja “autônomo” do governo brasileiro, ou seja, o imperialismo teria controle direto sobre todos os aspectos da economia do país. Em um artigo publicado em 25 de fevereiro deste ano o Financial Times exigiu cinicamente a demissão do Ministro da Fazendo Guido Mantega. O jornal afirmou que “"O ministro Guido Mantega perdeu há muito tempo o respeito dos investidores. Trocá-lo por alguém que seja simpático ao mercado faria maravilhas". Dilma vendo-se confrontada pelos outros candidatos por causa do baixo crescimentoafirmou que o ministro das finanças não iria continuar no cargo se ela vier a vencer.

A corrupção é parte inerente do sistema capitalista. No Brasil a repetição de governos corruptos se estende há mais de 500 anos. O fato de que o Partido dos Trabalhadores se afunde na corrupção não deveria ser nenhuma novidade. Mas os adversários estão usando o acúmulo de escândalos de corrupção entre o governo Lula (mensalão) e governo Dilma ( Petrobrás) como se fosse o PT e seus aliados fossem os que tivessem inaugurado a corrupção no país.

Como já afirmamos no nosso último artigo “CCR e as eleições no Brasil-2014” o PT nesses três mandatos de 12 anos governou “com a burguesia, para a burguesia e com os métodos da burguesia”. Não só cumpriu todas as exigências do imperialismo quanto à aplicação das chamadas reformas estruturais, como por exemplo a reforma da previdência, a privatização de estradas e dos aeroportos, o financiamento do agronegócio exportador, o apoio financeiro aos grandes bancos, como enviou tropas de ocupação do Haiti.

Os partidos de esquerda e os pequenos agrupamentos se dividiram com relação a quem votar no segundo turno. O PSOL, que no primeiro turno obteve 1,55% dos votos para Luciana Genro,liberou seus militantes e simpatizantes a votarem em branco, nulo ou Dilma, mas não em Aécio. O PSTU que obteve 0,09% recomenda voto nulo, pois entende que o PT “tem governado privilegiando os mesmos interesses que o governo anterior”. O PCO com 0,01 % defende o voto nulo, dizendo que a responsabilidade por uma provável derrota do PT é do próprio PT

Não há dúvida de que o país depois das jornadas de Junho do ano passado está passando por uma onda conservadora. A eleição da câmara federal no último dia 03 de Outubro aumentou, além do empresariado industrial, ainda mais as bancadas ruralista, religiosa fundamentalista e representantes dos militares saudosos da ditadura militar. Porém não consideramos isso motivo suficiente para dar apoio crítico ao PT

Mesmo que o PT de Dilma Roussef ganhe a eleição contra o candidato dos conservadores, Aécio Neves, estará profundamente mais fragilizado perante a necessidade de manter a “governabilidade”. Sendo assim, é maior a possibilidade de que o PT se oriente ainda mais para a direita aprofundando os ataques à classe operária.

Não há garantia nenhuma de que a vitória de Dilma Roussef signifique uma mudança de rumo do que foram os 12 anos de governo petista. Nada garante de que o PT não fará a nova reforma da previdência; de que não fará a reforma trabalhista; de que não entregará o Banco Central à Wall Street; de que não privatizará o Banco do Brasil e a Caixa Econômica. Mas não fará e necessária reforma agrária.

Nesse sentido, nós não concordamos que o voto ao PT poderia modificar a correlação de forças. Somente a mobilização dos trabalhadores nas ruas e greves de massivas poderão impedir que tanto o governo de Frente Popular quanto o governo Conservador possam concretizar os ataques tanto do governo de Frente Popular quanto de um governo conservador. Ambos cumpririrão as determinações do imperialismo e da burguesia nacional. Por isso recomendamos o voto nulo para presidente no segundo turno das eleições.

 

Veja também:

CCR e as eleições 2014 no Brasil: http://www.thecommunists.net/home/portugu%C3%AAs/brazil-elections/

http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2014/02/26/tirar-mantega-causaria-milagres-na-economia-diz-financial-times.htm

http://www.valor.com.br/opiniao/3733974/por-que-o-brasil-cresceu-tao-pouco

http://www.psol50.org.br/site/noticias/3014/seguir-lutando-para-mudar-o-brasil

http://www.pstu.org.br/node/21079

http://www.pco.org.br/atividades/o-pco-e-o-segundo-turno-das-eleies/ayzy,j.html

Free Homepage Translation