Síria: Não aos ataques com mísseis de Trump!

Expulsar todas as grandes potências da Síria! Vitória à revolução síria!

 

Declaração do Corrente Comunista Revolucionária Internacional (CCRI), 7 abris de 2017, www.thecommunists.net

 

 

 

1. Ontem à noite, o presidente dos EUA Trump ordenou o disparo de 59 mísseis Tomahawk contra o campo de pouso Shayrat na província de Homs que está sob controle das forças de Assad. Segundo informes, até 7 soldados sírios e civis teriam sido mortos, 20 aviões de guerra foram destruídos e a base aérea foi danificada.

 

2. Esta é uma evidente manobra política externa do governo Trump em tentar desesperadamente distrair o foco de sua situação altamente instável, heterogênea e desacreditada. Este ataque é uma tentativa de sinalizar ao mundo que "os EUA estão fazendo alguma coisa" em face do ataque bárbaro de armas químicas Assad em 04 de abril. O caráter simbólico deste ataque é acentuado pelo fato de que a Casa Branca informou a Rússia (e, portanto, Assad) do ataque com antecedência. Segundo uma declaração oficial do porta-voz do Pentágono Capitão Jeff Davis, "as forças russas foram notificadas antes do ataque usando acordo estabelecido de não-conflito (em inglês-established deconfliction line) planejadores militares norte-americanas tomaram precauções para minimizar o risco sobre os russos ou o pessoal sírio no aeroporto. ”

 

3. Além disso, figuras importantes do Pentágono já deixaram claro que este ataque não é o começo de uma ofensiva militar pelos EUA, mas um evento único. Os EUA estão advertindo Assad para conseguir seu acordo de resolução da guerra civil síria no interesse das grandes potências.

 

4. Mais importante ainda, os principais representantes da Administração dos EUA deixaram claro que não mudarão sua estratégia na Síria. Esta estratégia caracteriza-se por um desejo de liquidar a Revolução Síria e destruir todas as forças que se opõem a uma resolução da guerra civil que sirva aos interesses das Grandes Potências.

 

5. A Corrente Comunista Revolucionária Internacional (CCRI) se opõe incondicionalmente ao ataque aéreo estadunidense e ao mesmo tempo nos opomos às centenas de ataques aéreos russos que já mataram milhares de pessoas. A revolução síria não tem nada a ganhar se um grande assassino de massas estiver simbolicamente "punindo" o assassino de massas de um pequeno país.

 

6. Do mesmo modo, a CCRI rejeita a reivindicação de uma zona de exclusão aérea por parte da ONU. Isso só colocaria o controle aéreo da Síria nas mãos das grandes potências imperialistas. No entanto, estas potências têm provado nos últimos anos que elas são hostis à Revolução Síria!

 

7. Qualquer grande interferência de poder na Síria - seja pela Rússia ou pelos EUA - deve ser condenada, pois tal fato só vem a prejudicar o povo sírio. Ninguém esqueceu que a própria Rússia reivindicou em dezembro de 2016 ter lançado 71 mil ataques aéreos que supostamente teriam eliminado 35 mil "terroristas" (na verdade, na maioria civis e rebeldes; https://southfront.org/russian-warplanes-eliminate-35000-terrorists-in-syria/). Do mesmo modo, o general norte-americano Nagata anunciou em 5 de abril de 2017 que a coligação liderada pelos EUA matou "provavelmente perto de 70.000" pessoas no Iraque e Síria (https://southfront.org/russian-warplanes-eliminate-35000-terrorists-in-syria/) Colocar o destino do povo sírio nas mãos desses assassinos de massas imperialistas só pode ter consequências desastrosas para o povo sírio! Portanto, condenamos o apoio ao ataque dos EUA pela liderança da Coalizão Nacional Síria e da FSA.

 

8. Podemos esperar várias declarações histéricas da "esquerda" pró-Assad que condenam o ataque aéreo dos EUA. Os socialistas e os honesto-democratas só terão desprezo por esses stalinistas e castristas-chavistas que são, na realidade, simpatizantes social-imperialistas da Rússia e da China! Essas pessoas não levantaram um único protesto quando a Rússia estava matando dezenas de milhares de pessoas na Síria. Nem expressam oposição quando o imperialismo dos EUA mata 70.000 pessoas na Síria e no Iraque. No entanto, eles estão indignados se os EUA bombardear uma única vez um campo aéreo de Assad! Essas pessoas não são anti-imperialistas, mas sim partidários da ditadura reacionária de Assad e da Rússia imperialista sob o disfarce de "anti-imperialismo"!

 

9. A CCRI afirmou em numerosos documentos que estamos vivendo um período de crise histórica do capitalismo em que a rivalidade entre as grandes potências imperialistas - EU, UE, Japão, Rússia e China - se aceleram inevitavelmente. Portanto, não se pode excluir a possibilidade de que essa rivalidade inter-imperialista possa empurrar as Grandes Potências - contra suas intenções atuais - em um conflito qualitativamente mais sério sobre a Síria. Teoricamente, isso poderia levar a uma situação em que ambos os lados na guerra civil síria tornam-se fantoches para um dos campos imperialistas. No entanto, tal possibilidade teórica não corresponde à realidade da Revolução Síria hoje. Os revolucionários deduzem suas táticas da realidade concreta da atual luta de classes e não das possibilidades teóricas no futuro.

 

10. Reiteramos que o único caminho a seguir para a Revolução Síria é criar conselhos populares e milícias que estejam sob o controle dos trabalhadores e camponeses pobres e lutar por uma república operária e camponesa. Chamamos a construir um movimento internacional da classe trabalhadora em solidariedade com a Revolução Síria. Enquanto a CCRI se opõe aos ataques dos EUA, pedimos apoio à luta de libertação da Síria enviando armas modernas aos rebeldes sírios para que eles possam se defender contra a assassina força aérea de Assad e os tanques modernos.

 

* Interromper a intervenção dos EUA e da Rússia na Síria! Expulsar todas as grandes potências da Síria!

 

* Abaixo com o regime de Assad! Vitória para a Revolução Síria!

 

* O movimento internacional dos trabalhadores deve apoiar a luta de libertação do povo sírio! 

 

 

 

Secretariado Internacional do RCIT

 

Free Homepage Translation